Rotina matinal: como começar o dia da melhor maneira

rotina matinal

No último ano ano não tive uma rotina matinal. Melhor ou pior, mais ou menos consciente, sempre tive algum tipo de estrutura para as minhas manhãs. Nos últimos meses isso não aconteceu. Os dias começavam já descontrolados. Sempre a correr atrás do prejuízo. A descobrir que a blusa que queria pôr tinha uma nódoa. Ou a tentar “adiantar” o trabalho que tinha por fazer ainda antes de abrir os olhos. Ou a gritar para ninguém em específico que já estávamos atrasados.

Isto desequilibrou-me. Senti falta de ter mais controlo e intencionalidade no início do dia. Por isso, decidi investigar melhor como uma rotina matinal me poderia ajudar.

O que é uma rotina matinal

Lê-se e ouve-se muito sobre a prevalência da rotina matinal no dia-a-dia de grandes líderes (e de grandes influencers). Há para todos os gostos: umas que soam a tortura (acordar às 5h, duche frio, corrida à chuva), outras que soam a retiro espiritual (meditação e yoga) e ainda outras que soam a spa (rotinas de pele com mais de 7 passos).

A verdade é que uma rotina matinal deve ser feita à medida de cada um. Não há uma receita mágica que possamos copiar e que transforme a nossa vida. Mesmo os nossos modelos ou pessoas que admiramos podem ter inclinações ou preferências bastante diferentes.

Em grande parte, é uma experiência de tentativa erro até acertarmos no que nos serve melhor.

Vantagens de ter uma rotina matinal

Para mim, a principal vantagem de qualquer rotina é que é menos um conjunto de decisões que precisamos de tomar. Já há acções, que se tudo correr bem se tornam hábitos, e que reflectem as nossas intenções, objectivos e prioridades.

É muito fácil ficarmos à mercê dos nossos apetites e moods. Facilmente os dias passam e transformam-se em meses e anos e nada do que eu fiz era verdadeiramente importante. Ou seja, uma rotina salva-te de ti própria.

Routine is a condition of survival (Flannery O’Connor)

Para além disso, uma rotina é um precioso ajudante nesse projecto de uma vida que é o auto-conhecimento. É testando hábitos que nos vamos realmente conhecendo e explorando. É a vida que nos ensina.

One does not ‘find oneself’ by pursuing one’s self, but on the contrary by pursuing something else and learning through some discipline or routine (even the routine of making beds) who one is and wants to be (May Sarton)

Sempre encontrei alguma coisa de mágico nas manhãs, sobretudo aquele início das manhãs em que parece que há uma mística do silêncio no ar, em que está mais fresco, mais solitário. Parece uma oportunidade para se ser o melhor que se pode ser.

E como introvertida e mãe de dois, sabe-me muito bem ter tempo só para mim, o que nem sempre é fácil na correria dos dias (e frequentemente é passado para segundo plano).

I ended up convinced morning routines offer a canvas for cultivating discipline, creativity and self-care if chosen correctly. Starting with purpose and certainty gave me a sense of calm that carried throughout my day. (Grace Lordan)

Como desenhar uma rotina matinal que funciona para ti

A tua rotina deve ajudar-te a que o dia (e a vida) corra melhor e na direção que queres. Ou seja, tens de pensar no imediato (o que te traz uma maior sensação de bem-estar) e também num horizonte mais largo (que prioridades tens na tua vida).

Isto muda. Algumas de nós preferem começar o dia o mais tranquilas possível (nesse caso, talvez não te ponhas a ver as notícias no telemóvel logo de manhã), enquanto que outras querem começar cheias de energia (aulas de cycling, por exemplo). Algumas têm um grande objectivo ou plano (por exemplo, escrever um livro ou aumentar a massa muscular), outras só querem optimizar um momento do dia que facilmente sai do nosso controlo.

E todas temos estilos diferentes (como mostram as 4 tendências da Gretchen Rubin): enquanto que algumas valorizam ter regras firmes e com pouca margem de manobra, para outras é preferível ter bastantes graus de liberdade na definição da rotina. Ou seja, algumas de nós vão contar as colheres de aveia que põem todos os dias na mesma taça e outras vão acordar nuns dias às 6h noutros às 7h.

De qualquer forma, há 4 (+1) perguntas a que deves responder no planeamento da tua rotina matinal:

  • Quando acordar?
  • O que fazer?
  • O que comer/beber?
  • Como funciona esta rotina nos dias em que se sai da rotina (por exemplo, em viagem)?
  • E não te esqueças da principal: “porquê?”. Fica atenta se estás a acrescentar elementos que não te fazem sentir bem nem contribuem directamente para nenhum objectivo. Com tantas opiniões, estudos e ideias, é fácil darmos por nós a importar objectivos que não nos pertencem 😉


.

5 elementos da minha rotina matinal

Eu estou muito fã dos “micro-steps”. O que faço é pensar nos meus grandes blocos de prioridades e depois pensar na tarefa mais pequena que conseguiria fazer nessa direção. Por exemplo, se quero fazer mais exercício, o que tento garantir que está na rotina são 15-20 minutos de exercício, não uma hora.

Sim, é verdade, não teria de ser a tarefa mais pequena. Mas eu já me conheço. Mais vale começar pequeno e depois consolidar.

Aqui ficam algumas ideias que ando a testar:

  • Exercício físico. 45 min de ginásio 2x por semana. Nos outros dias: 20 min de ginástica em casa ou um passeio a pé pelo meu bairro.
  • Reflexão. Escrever 1 página livre no meu diário. Não ver redes sociais até sair de casa.
  • Pequeno-almoço. Varia, mas inclui alimentos simples e tão saudáveis quanto possível. Comer sentada e com calma.
  • Prazer. Ler enquanto tomo o pequeno-almoço. Ouvir música enquanto me visto. Olhar pela janela e ver as árvores.
  • Logística. Deixar a roupa planeada de véspera. Comprar um despertador verdadeiro para deixar o telemóvel longe da cama.


E tu, tens uma rotina matinal?


Também te pode interessar:

Falta de energia e vitalidade? Como melhorar este ano

O que é procrastinar e como podes procrastinar menos

Essencialismo, Greg McKeown: fazer menos mas melhor

Também podes gostar

1 comment

Leave a Reply

You have to agree to the comment policy.