Qual a melhor idade para ser mãe? Algumas considerações

melhor altura para ser mãe

Tive uma colega que dizia que sempre quis ser mãe aos 30. Mas depois fez 30 e não se sentia preparada. A verdade é que não é fácil responder à pergunta de quando é a melhor idade para ser mãe. Mas é algo em que a maior parte de nós pensa.

Sou daquelas que sempre quis ser mãe. Se não tivesse conseguido, teria sido um verdadeiro desgosto. Isso ajuda, porque podes nem saber se queres ser mãe. Mas mesmo querendo, a questão do momento ideal mantém-se e pode ser chata. Sobretudo porque não há uma resposta fechada.

Espero que este artigo te dê pistas em relação a como pensar sobre esta decisão importante.

A melhor idade para ser mãe

Na verdade, não acredito que haja uma idade “ideal” para ser mãe. Biologicamente, claro, há uma idade fértil. Que também deve ser tida em conta, porque influencia. Mas a maior parte das mulheres pondera muito para além disso.

A maior parte de nós tem em conta dúvidas super legítimas, tais como:

  • Devo aproveitar para viajar tudo o que quero antes de engravidar? Ou esperar pela reforma para ir à Nova Zelândia?
  • Quanto é que preciso de ganhar para ser mãe?
  • O que acontece no meu emprego se disser que estou grávida? Despedem-me? “Encostam-me”?
  • Espero que os meus pais se reformem para me ajudar ou aproveito agora que ainda têm fôlego?
  • Querendo ter mais do que um filho, qual o intervalo ideal (lá está esta palavra outra vez) de idades entre eles?
  • Se for mãe agora, que idade vou ter quando o meu filho tiver 18 anos? E quando tiver a minha idade?
  • Devo atingir um determinado patamar na minha carreira antes de ser mãe ou antecipar a maternidade para depois me dedicar à carreira?

No seu livro Lean In, a Sheryl Sandberg dá o conselho de “não saias até saíres”. Isto porque reparou que muitas mulheres começavam a tomar decisões que penalizavam a sua progressão na carreira anos antes de começarem a tentar engravidar. Eu li o livro e mesmo assim dei por mim a ter pensamentos desses.

A verdade é que não há respostas definitivas. Depende de cada pessoa, depende de cada situação. Mas uma coisa em que acredito mesmo é que nunca vais ter as condições perfeitas todas reunidas. Dinheiro, carreira, casa, apoio familiar ou outro, energia, fertilidade, o que seja. Chega a um ponto em que tens de decidir e ir, mesmo sem todos os checks do mundo ideal. A vida é mesmo assim.

As pressões para ser mãe aos 30

Para não ajudar à festa, a sociedade em que vivemos tem a mania de dizer que somos livres para tudo. Mas depois toda a gente pergunta a uma mulher se ela não quer ter filhos. Sobretudo a partir dos 30. Uns por cusquice genuína, outros por preocupações com a natalidade do país, outros porque acham que é o melhor para ti, outros só para serem chatos.

Há muitas mulheres a dizer que são pressionadas até por pessoas da família e amigos, que é capaz de ser a pior pressão, desde bem antes dos 30!

A idade, sendo um número, também é relativa. Porque há mulheres que, aos 25, podem ter a vida toda estabilizada e outras que só assentam arraiais bem mais tarde. Não é indiferente. Se não me tivesse casado aos 27, talvez não tivesse engravidado antes dos 30. Quem sabe.

Como decidir qual a melhor idade para ser mãe?

Só tu podes responder a esta pergunta. Mas, na tua ponderação, pode ajudar ter em conta os seguintes tópicos de reflexão.

Ignora os clichés

“Mas eu nem consigo manter uma orquídea viva, quanto mais um ser humano”. Certo? Deixa-me pegar na minha experiência e tentar desmistificar este e outros “requisitos” que costumam aparecer associados à tua vocação para mãe:

  • Capacidade de manter plantas vivas. Eu tenho duas crianças saudáveis e nunca consegui manter uma planta viva por mais de um mês. E foi um manjerico. Agora pensa.
  • Vontade de tomar conta dos filhos dos outros. Sempre gostei de crianças, mas nunca fui daquelas que via um bebé no supermercado e pensava “ai, só apetece levar para casa”.
  • Seguir 20.000 blogs de maternidade. Tinha amigas que, antes de engravidarem, já sabiam de todas as possíveis doenças ao longo do primeiro ano de vida e já conheciam todas as marcas de roupa de bebé. E podes. Mas não é obrigatório!

Não te compares a mais ninguém

Esta é difícil. Eu sei que ninguém vai querer engravidar só porque a amiga engravidou. Mas também não é neutro, pois não? Se fores sincera, mexe aí com qualquer coisinha. É uma espécie de lembrete, e tu podes carregar no botão para “adiar”, mas ele tocou na mesma.

E isto funciona em vários sentidos. “A não-sei-quantas disse que desde que foi mãe nunca mais dormiu mais de 2h seguidas”. “A XPTO diz que amamentar é horrível”. Quantas historias de terror sobre a maternidade circulam por aí a aterrorizar mulheres? Tantas, que foi um dos temas abordados no meu curso de preparação para o parto.

Sê honesta contigo própria

Ouve-te. Autoriza-te a sentir o que sentes. Se isto parece lamechas, é porque precisas de ler novamente. Tenho a sensação de que achamos que estamos a democratizar o discurso, mas ainda não estamos bem lá. Continua a haver uma versão mais aceite.

Do meu ponto de vista, aquilo que é considerado “normal” agora, mesmo que não seja dito, é ser mãe aos 30 e tal. Ser mãe aos 20 e poucos quase que exige uma justificação. Não querer ser mãe também. Tens de ignorar isto. Pensa como se só tu (e o teu marido/companheiro, claro) interessassem. E pensa em como é que te sentirás no futuro, não só agora. Como é que te sentirás daqui a 10 anos ou daqui a 30 anos em relação a estas decisões?

Tem um plano, mas sê flexível

Parece contraditório, mas é mesmo assim que funciona. Parte daquilo que for importante para ti: ter uma casa, ter um determinado nível de rendimento, viajar durante x anos, o que for. Mas, como a vida dá muitas voltas, adapta-te. Ai afinal até estás bem na casa alugada ou não conseguirás comprar uma casa antes de 2041? Queres mudar de carreira? Alguém ficou doente? A vida, a vida.

E acredita que nunca vais ter todas as condições ideais reunidas. Em algum momento, se quiseres ser mãe, vais ter de avançar.

Informa-te

Não quero parecer aquelas tias chatas, mas acho fundamental que te informes sobre a tua fertilidade. O que acontece aos 30, aos 35, aos 40. Só para saberes. Depois decides na mesma o que quiseres.

E, isto pode parecer óbvio, mas vale a pena dizer. Tem em conta que desde que decides engravidar até isso efectivamente acontecer, podem passar alguns meses. Ou anos. E, depois de engravidares, ainda tens 40 semanas de gestação (completa) até o bebé nascer. Não é de um dia para o outro.

Ajusta as expectativas

Não, os teus filhos não vão ser os únicos que nunca deram uma má noite aos pais. Mas, se fores mãe, a tua vida não tem de passar a girar toda à volta dos teus filhos. A verdade é algures lá no meio.

Fico sempre assustada quando ouço alguém anunciar que quando o bebé nascer vai continuar tudo na mesma e o bebé é que tem de se adaptar, porque não sei se isto é possível. Podes levá-lo para todo o lado, mas não deixa de ser um bebé.

Vais sempre ter de abdicar de algo, quer sejas mãe ou não.

Toma as decisões pelas razões certas

Espero que não tenhas nenhuma ilusão quanto à ideia de ter filhos para segurar uma relação ou um casamento. Para além de ser um motivo pouco inspirado para trazer uma criança ao mundo, é provável que não tenha o efeito desejado. Não tenhas filhos só porque era uma grande alegria para a tua Mãe ou a tua Avó. Não é por mal, mas é um mau motivo.

Inversamente, não adies ou canceles a decisão por medo do parto. Ou de as tuas maminhas nunca mais irem ser as mesmas se amamentares. (spoiler: não vão). Ou por nunca teres pegado num bebé na vida. Ou por o coto umbilical ser super esquisito. (spoiler: se é). A humanidade faz isto há muitos anos. Tudo se faz.


E tu? Qual achas que é a melhor idade para ser mãe? O que sentes que te ajudou ou tem ajudado a ponderar esta questão?


.


Também te pode interessar:

7 coisas que mudaram desde que sou Mãe

Amamentação e eu: a love story

Também podes gostar

Deixe uma resposta

You have to agree to the comment policy.