11 coisas que aprendi com as personagens do Harry Potter

personagens do Harry Potter

Quem é de uma certa geração, da minha, cresceu com os livros e as personagens do Harry Potter. São incontornáveis, sobretudo depois dos filmes que imortalizaram aquele universo. Há palavras que passaram a existir no nosso vocabulário depois disso.

As personagens do Harry Potter são cheias de cor e de vida, logo a começar pelos nomes que a J. K. Rowling escolheu para elas (Hermione, Dudley, Luna Lovegood, Remus Lupin, Rita Skeeter, Severus Snape, Sirius Black, Draco Malfoy, Minerva McGonagall, Doloris Umbridge, Tom Riddle, Voldemort, etc.).

E continua a ser uma história com uma grande moral, várias até, uma história que gostaria que os meus filhos lessem, quando tivessem idade.

As personagens do Harry Potter

Achei muito engraçado este post da Andreia Moita. Ela releu os sete livros no último ano, uma actividade que me soa luxuosa, e que estou a guardar para fazer quando os meus filhos chegarem à idade de os ler. É mesmo verdade que há muito mais história e muito mais profundidade nos livros que se perde nos filmes. É uma história muito rica.

Como as acompanhamos ao longo de sete livros, as personagens do Harry Potter crescem connosco, vão-se tornando mais profundas, mais complexas, mais ricas. E nós vamos aprendendo com elas. Com elas e com todos os conceitos e objectos fantásticos imaginados pela autora, como o Pensatório, os Dementors,

Tudo o que aprendi com as personagens do Harry Potter

Aqui ficam as minhas lições preferidas que aprendi com as personagens do Harry Potter.

Não são as tuas capacidades que te definem, são as tuas acções

Esta é a minha lição preferida, ou seja, foi algo que eu também tive de aprender, tal como o Harry. Vale em todos os sentidos. Não é por sermos bons numa coisa que temos de investir nela, que somos isso. Ser boa aluna, ser dentista, ser bonita, ser jornalista, ser inteligente, seja o que for, não nos esgotamos nisso. E também se aplica ao contrário, claro: não é por sabermos falar com serpentes que somos más. Não interessa que chapéu é que nos calha, somos sempre o que somos.

A coragem é a maior virtude

Uma vez ouvi a J. K. Rowling a falar sobre isto. Por que é que a virtude emblemática dos Gryffindor, ou seja, por que é que a maior virtude dos maiores heróis da história, é a coragem? Ou seja, por que é que a coragem é a maior virtude? Ela diz que a coragem é a mais importante porque é a virtude que permite que as outras virtudes se expressem. Nunca tinha visto as coisas nestes termos e o tempo só lhe tem dado razão, na minha opinião.

O que mais tememos tem poder

Lembras-te daquela parte em que eles têm que enfrentar (mesmo fisicamente) os seus maiores medos? O do Ron são aranhas. Mas o do Harry Potter são os Dementors, ou, como diz o professor, do que ele tem mais medo é do próprio medo. Medo de ser controlado, dominado, pelo medo. O que é uma atitude racional e saudável. Aquilo que mais tememos pode ser uma terrível motivação na nossa vida. Por exemplo, diz a J. K. Rowling que o que o Voldemort mais temia era a própria morte, e olhem o que ele fez para tentar escapar.

O amor é o único inimigo à altura do mal

Toda a história do Harry Potter é basicamente o triunfo do amor sobre o ódio, não é? Desde logo, quando o gesto de amor da mãe do Harry Potter o protege da morte e vira contra o feiticeiro o todo o mal. Quando esse amor até depois da morte protege o filho, ali, invisível. Até me arrepio. Em toda a história, o maior mal é sempre menor que o amor. Não há maior prova de amor do que dar a vida por quem se ama. Faz lembrar Jesus, ou sou só eu?

Viver sem amor é pior do que morrer

E aqui fica o corolário: viver sem amor é pior do que a morte. E talvez até a causa dos maiores males do mundo seja a falta de amor.

Don’t pity the dead. Pity the living, and above all, all those who live without love.

Nem sempre os mais velhos sabem mais

É verdade que o Dumbledore já tinha alguns séculos de idade, ou lá o que era. Mas também foi ele que disse “Age is foolish and forgetful when it underestimates youth.” Nesta história, os heróis são adolescentes, que começam por ser crianças. E que, em muitos casos, demonstram ser verdadeiros exemplos para alguns dos adultos.

Depressão = ausência de alegria

Todo o conceito dos dementors é muito, muito bem pensado. Li algures que a autora baseou-se na própria depressão que teve para descrever o efeito que eles provocam nas pessoas. E aquilo que os seres (ou não seres) acinzentados dos dementors fazem é sugar a alegria das pessoas, conduzindo-as ao desespero total.

Get too near a Dementor and every good feeling, every happy memory will be sucked out of you.

Remus Lupin

Realmente assustador.

Como conhecer alguém

If you want to know what a man’s like, take a good look at how he treats his inferiors, not his equals.

Sirius Black

A Jane Austen também diz uma coisa parecida num dos seus livros, não há elogio melhor do que o de um criado inteligente. É uma ideia clara e difícil de contestar, nunca me falhou até agora.

Toda a gente precisa de um mentor

O Harry Potter teve vários, digamos assim, mentores. Talvez o Dumbledore tenha sido o principal deles. Todos temos dúvidas, todos exageramos e todos nos perdemos. Faz falta alguém que vá uns passos à frente no caminho e nos dê umas luzes. Alguém que nos diga que o sofrimento faz parte da vida e, já agora, mais uns quantos conselhos úteis.

As personagens mais interessantes são sempre as mais complexas

Eu sou parcial, eu sei, porque eu sempre fui fã do Snape. Sempre. Muito antes do último livro sair. Ele tinha ali um mistério que não podia ser só maldade crua. Para mim, é a melhor personagem dos livros. Mas também é assim na vida. A complexidade é sempre interessante, cativante, mesmo que essas personagens mais complexas nem sempre sejam a nossa escolha de parceiro para a vida. Mas dá para pôr num livro.

A nossa infância tem as pistas sobre nós

Quando começa toda aquela saga de ir recolher memórias sobre a infância do Voldemort, que ele guardava objectos, que perguntava ao professor o que era um Horcrux, etc., confesso que chegou a uma altura que fiquei impaciente. Anda lá com isso, ele está à solta e vocês estão aí a recordar episódios da infância dele? Mais tarde, com o desenrolar da história e também com a experiência que a vida me trouxe, percebi que é aí que está toda origem do problema. É daí, da infância, que vêm as pistas mais importantes para o que motiva, assusta e guia cada um de nós. Profundo.


E tu? O que aprendeste com as personagens do Harry Potter?


Também te pode interessar:

5 episódios de Friends que me fazem pensar na vida

17 coisas que aprendi com os melhores filmes da Disney

21 coisas que aprendi com a série O Sexo e a Cidade

Também podes gostar

5 comments

      1. Francisca
        Dos diversos itens que realça em relação ao tema Harry Potter,, destaco o primeiro, quarto, quinto e décimo primeiro(último).
        Não posso deixar de afirmar, que a Francisca tem grande capacidade de concentração e memória para reter os pormenores das diversas leituras literárias e outras.
        Para mim, foi muito interessante recordar toda a história. Tantos anos já passararam…….

  1. Francisca.
    Dos itens apresentados em relação ao Herry Potter destaco o primeiro, o quarto, o quinto e o décimo primeiro(último).
    Não posso deixar de salientar a capacidade de concentração e de memória. para a referência dos pormenores que descreve.
    Trabalho muito bem apresentado e de rico conteúdo. Parabéns Francisca.

Deixe uma resposta

You have to agree to the comment policy.