Por que é que os 30 são a melhor década da tua vida

os 30 são a melhor década

Alguém duvida que os 30 são a melhor década da tua vida? Em princípio, a maior parte de nós. Até lá chegares, isto é. Sempre achei deprimente aquela conversa de que os anos da faculdade eram os melhores da tua vida. Quer dizer, uma pessoa ainda nem sabe bem quem é e já nos estão a dizer que é sempre a descer a partir daí?

Mas cada vez mais acredito que os 30 são mesmo a melhor década da nossa vida. E não digo isto só por ter 32!

A resposta resumida: confiança. E timing.

Por que é que os 30 são a melhor década da tua vida? (o peso dos 30)

É marcante fazer 30, sobretudo para uma mulher, parece-me. Não tenho nenhuma amiga para quem tenha sido indiferente. Umas encararam a aproximação aos 30 com algum desconforto. Ou seja, sentiram-se velhas. Outras, nas quais me incluo, queriam chegar lá o quanto antes. Achavam que a idade lhes ia trazer sabedoria. E, sobretudo, tranquilidade.

Até ouvi histórias de ultimatos. Ou sou pedida em casamento até aos 30 ou então…

Seja como for, ninguém fica neutro à mudança de década.

Os 30 são os novos 20?

Esta é uma opinião popular. Faz algum sentido porque, basicamente, as nossas vidas atrasaram quase uma década, de uma geração para outra. É difícil, por exemplo, ter autonomia financeira antes dos 30. É quase impossível comprar uma casa em Lisboa. Por isso, preocupações de carreira e não só, as mulheres vão tendo filhos mais tarde. E então realmente é verdade que coisas que as nossas avós viveram aos 20 e pouco e as nossas mães aos 20 e muito, para nós derrapem para os 30.

Só que não. Não sou eu que digo, é a Meg Jay, num livro muito bom que hei-de aqui trazer e nesta TedTalk. Não podemos desperdiçar futilmente os 20 se queremos que uma série de coisas aconteçam aos 30. Mas, como digo, voltarei a este tema.

15 razões por que os 30 são a melhor década da tua vida

1. Tens mais rendimento disponível

Há poucas pessoas que, aos 30, não recebam já um salário. O que não é verdade aos 20 quando entre estudos e estágios e outras experiências ainda se é um bocado precário. Um rendimento disponível traz um mundo de possibilidades de consumo (ou poupança). Mas isso também nos permite gozar a vida de uma maneira diferente.

2. E mais capacidade de o gerir

Não basta ganhar dinheiro, é preciso aprender que a vida não é só comprar um vestido para sair à noite no próximo fim-de-semana. Ou viajar. Ou copos. Mas isto digo eu que sou uma forreta. A verdade é que os primeiros salários foram basicamente espatifados. Comprei um relógio tão pesado que quase fiquei com uma tendinite porque passava o dia a trabalhar no computador. Com o tempo, se tudo correr bem, ganhámos uma noção dos gastos que fazem sentido para o nosso contexto. Aprendemos a viver com o dinheiro.

3. Tens mais perspectiva para te focar no essencial

Mesmo sem filhos, acho que isto acontece. A idade e a experiência trazem uma certa claridade sobre o que verdadeiramente importa. Se stressavas com o trabalho ou com o teu peso, por exemplo, começas a relativizar. Sim, podia melhorar. Mas há coisas mais importantes. No mundo e na tua vida.

4. Tens menos paciência para fingir ser o que não és

Não precisas de fingir que adoooras cerveja ou de padel ou do Quentin Tarantino. Gostas do que gostas, fazes o que te apetece. Quem não gosta, não olha.

5. Tens mais resiliência

Já não é um olhar de lado que te mandar abaixo. Já nem certas derrotas o conseguem. Percebes que não podes ganhar sempre e que a vida é feita de altos e baixos.

6. Aprendeste a pedir aquilo que queres

Nem sempre, mas estás melhor. Os outros não conseguem, ou não querem, perceber o que é importante para ti. Por isso tens de ser tu a falar. E isso dá um resultado muito melhor.

Imagina aos 40.

7. Vestes-te de forma mais confortável

Confortável não quer dizer desleixada. Mas já não compras a última peça da moda, tipo calções de ciclista, ou a peça de roupa mais justa. Já te consegues sentir sexy naquilo que te fica melhor.

8. Já sabes qual o teu vinho preferido

Numa certa fase, cada vez que algum empregado me perguntava “seco ou frutado” eu respondia “qual é que é melhor?”. Ou que odeias vinho. E pedes o que queres num restaurante ou numa festa. Não há cá cerimónias.

9. Já ultrapassaste as inseguranças do 20…

Os 20 são muito tramados para uma mulher. Pelo menos para mim foram. E para a Britney Spears, embora de uma forma diferente. Not a girl, not yet a woman. Uma pessoa ainda não sabe bem quem é e já tem de brincar aos adultos, mas não de uma forma demasiado “velha”. Só a pressão de achar que precisamos de decidir logo como queremos a vida toda, é uma canseira.

10. … e ainda não chegaste à crise-de-meia idade dos 40

Não faço ideia se há uma crise de meia-idade aos 40. Investigo melhor quando me aproximar. Mas aos 30 claramente é demasiado cedo. Está tudo bem. Respira.

The hardest years in life are those between ten and seventy.

Helen Hayes

11. O guarda-roupa é melhor

É outra vez a história do poder de compra. E do auto-conhecimento.

12. Já não estás em início de carreira

Certo? Pelo menos é possível que haja alguém que está há menos tempo que tu na empresa. Ou que já tenhas tido mais do que um emprego. Algumas de nós podem ter pequenas equipas que lhes reportam. Seja como for, já tens um currículo que diz mais do que a tua média de licenciatura. E muitas experiências de valor.

13. Talvez percebas melhor os teus pais

Sobretudo se fores mãe, mas não só. Dás por ti a dizer frases que os teus pais sempre disseram. Ou a ir verificar três vezes se fechaste mesmo o carro. Coisas da vida. Mas a verdade é que perceberes melhor os teus pais torna-te uma pessoa melhor. Se calhar nunca te sentiste tão próxima deles desde a adolescência. E empatia é sempre melhor.

14. Já não tentas parecer mais velha…

Havia uma altura em que, para sair à noite ou para atrair a atenção de um homem mais velho ou para ser levada a sério numa reunião de trabalho, tentávamos parecer mais velhas. Carregar um bocadinho na maquilhagem, saltos altos, usar peças pretas, you name it. Mas agora blheck. Certo? Quem quer parecer mais velha? Essa fase acabou. Viva o lipgloss e a maquilhagem nude. Curioso que acaba por ser mais caro maquilharmo-nos para ter a nossa idade do que para parecermos mais velhas.

15. …mas ainda vais a tempo de cultivar bons hábitos

Eu não sou dermatologista, mas diria que os 30 são uma excelente altura para adoptar uma rotina de limpeza e hidratação de pele. Melhor do que aos 40 pelo menos! Sem dúvida que aos 30 já temos alguma consciência de que o nosso corpo se ressente mais do que antes. Mas esse é um bom lembrete de que os bons hábitos se reflectem na nossa saúde, bem-estar e aparência.

Se eu fosse geneticamente abençoada com um metabolismo que não me deixasse engordar, talvez não comesse tantos legumes. Sei que algumas de vocês “amam” legumes. Mas outras sentirão o mesmo. Se aquele primeiro indício de futura ruga nos puser a usar protector solar, se calhar é bem-vindo.

Os 30: a melhor década da tua vida

Por isso, se estás quase a fazer trinta, não temas! Se já estás nos trinta, aproveita. E se já ultrapassaste esta bela década, então aproveita as coisas boas que aí encontras.


.


E tu, como é que sentes que a tua vida já melhorou aos 30? Concordas que os 30 são a melhor década da tua vida?


Também te pode interessar:

As 30 melhores coisas que aprendi antes dos 30

Negative bucket list: 25 coisas que (já) não quero fazer

Também podes gostar

Deixe uma resposta

You have to agree to the comment policy.