7 coisas que aprendi com a Oprah Winfrey

Oprah Winfrey

Sim, com a Oprah Winfrey. Uma figura que me acompanhou desde a adolescência e que é conhecida pelo mundo inteiro. Que basicamente não precisa do apelido. Oprah. E uma figura que acredito que é, no fundo, um bom exemplo, alguém que continua à procura de mais formas de se dar, que não se contenta, que partilha as suas vulnerabilidades e as suas descobertas. Se isso não é um bom exemplo então eu tenho muito a aprender.

A Oprah Winfrey e eu

Para mim, a Oprah Winfrey começou no liceu, quando eu chegava a casa depois das aulas e estava a dar um episódio do The Oprah Winfrey Show na SIC Mulher. A Oprah aparecia com os seus brincos de diamantes, o seu sofá creme e o seu cabelo arranjado. Eu saltava os episódios em que ela recebia as vítimas de algum vício ou escândalo e entretinha-me com as entrevistas a celebridades e sempre que ela dava as suas coisas preferidas ao público.

Com o tempo, como quase tudo, a minha relação com a Oprah amadureceu.

7 coisas que aprendi com a Oprah Winfrey

Aqui ficam as melhores coisas que me lembro de aprender com a Oprah Winfrey.

Doubt means don’t

Esta ouvi num dos programas da tarde. Ela dizia que se aplicava a tudo: comprar uma peça de roupa, continuar uma relação. No fundo, é uma indicação para seguir o nosso instinto. Quando alguma coisa parece que não está certa, é provável que não esteja.

Lembro-me de recorrer a este conselho em idas às compras. Sempre que pensava “não sei se leve este vestido ou não”, sorria para mim própria e repetia como a Oprah “doubt means don’t”. Com os anos, vim a usá-lo também em relação a oportunidades ou a pessoas. É o tipo de conselho de que a minha cabecinha céptica costuma desconfiar, mas que nunca que me falhou.

Ler é cool

A Oprah é uma leitora assumida – criou até o maior book club do mundo. Ela defende que os livros são uma forma de mudar o mundo e expandir os nossos horizontes.

Books were my path to personal freedom. I learned to read at age 3 and soon discovered there was a whole world to conquer that went beyond our farm in Mississippi.

Oprah Winfrey

Mas ela é também uma mulher que prefere ficar em casa com uma manta a ler do que ir a festas. É uma pura amante de livros e leituras. E é tão bom de vez em quando encontrar alguém que realmente lê. Me too:

I love being surrounded by books. For me, they’re like art, little pieces of sculpture placed all over the house, reminding me, always, of the power of the written word. Just looking at them brings me the purest kind of joy.

A Maya Angelou é uma inspiração

A Oprah diz que a Maya Angelou foi a sua mentora. Alguém que ela conheceu desde os 20 anos e que lhe deu conselhos preciosos. “No time with Maya is ever wasted”, disse ela. E é tão bonito ver a relação que elas tinham, como falavam sobre a idade, sobre o amor, sobre todas as coisas importantes e profundas. “Her greatest lesson to me: “You are enough!””

Não precisas de definir o teu legado

A Oprah conta esta história, que é também uma lição que ela aprendeu, que eu acho linda. Quando abriu a sua escola na África do Sul, ela comentou com a Maya Angelou “esta escola vai ser o meu legado”. E ela respondeu “Tu não fazes ideia do que vai ser o teu legado. O teu legado nunca é uma coisa, o teu legado é cada vida que tocaste”. Arrepia-me e faz-me chorar.

Pensar sobre aquilo que sabes é poderoso

Acho que começou por ser o editorial da O magazine. Era uma espécie de coluna mensal com o título “What I know for sure”. Não liguei muito. Depois comecei a reparar que ela fazia esta pergunta nas entrevistas, com aquele ar sério de quem sabe que está a perguntar uma coisa importante. E as celebridades lá tentavam arranjar algo profundo para responder. Mas cada vez mais dou mérito a esta frase. Saber o que sabemos não é fácil. Nem sempre temos essa clareza e às vezes temos mas não sabemos articular. É conhecimento nosso que fica por aproveitar.

Podes ser introvertida e uma grande comunicadora

A Oprah é capaz de ser uma das auto-proclamadas introvertidas mais famosas do mundo. E é também uma das mais celebradas comunicadoras da nossa sociedade, uma estrela da televisão e do cinema. Como é que estas duas coisas funcionam? Funcionam porque são compatíveis. Ser introvertida não te impede de gostar de estar com pessoas ou de actuar para grupos. Pode é fazer com que não vás às festas todas, por exemplo. Ser introvertida ou extrovertida só significa que recuperas a tua energia de formas diferentes.

“I’m an introvert! I’ve been at parties where I have to get up and leave and I’m just in the bathroom.

Oprah Winfrey

Descobre o que te faz sentir viva

No seu commencement speech em Harvard, a Oprah foi inspiradora. Falou do salto que deu ao parar de apresentar o seu programa de sucesso para criar um canal de televisão. E falou do que correu mal e do que ela aprendeu. Do que aprendeu na vida sobre como lidar com o medo e da importância de descobrir a nossa pequena voz, o nosso GPS, que é aquilo que nos faz sentir vivas e é o que faz a vida valer a pena. E até de como ela só descobriu o dela mais tarde, não no início. Foi vulnerável e forte, foi bonito.

Failure is just life trying to move us in another direction.


.


E tu? O que aprendeste com a Oprah Winfrey?


Também te pode interessar:

Os melhores discursos inspiradores que não podes perder

11 coisas que aprendi com as personagens do Harry Potter

17 coisas que aprendi com os melhores filmes da Disney

Também podes gostar

Leave a Reply

You have to agree to the comment policy.