Livros de Natal: o que sabe bem ler nesta altura do ano

livros de Natal

Para quem gosta de livros, há toda uma outra categoria que são os livros de Natal. São livros a que sabe sempre bem regressar, que não exigem muito de nós, em dimensão ou concentração, mas que acabam por nos ensinar qualquer coisa. Alguns nem seriam livros completos noutro contexto: são contos.

Também é verdade que muitos destes livros são clássicos, que surgem todos os anos, por esta altura. Livros que sabe bem reler, talvez com uma manta, ou então ver uma adaptação cinematográfica.

Livros de Natal: por que sabem tão bem?

Há uma nostalgia associada a tudo o que é de Natal, não há? Porque foi um evento tão marcante nas nossas infâncias, durante vários anos. Porque o mês de Dezembro é uma altura do ano em que procuramos (e encontramos) tanto conforto, nas mantas, nas bebidas quentes, nas lareiras, para quem as tem.

Se reparares, muitos dos itens da minha lista de livros de Natal são contos infantis. Mas não me parece que sejam só para crianças.

Para quem gosta do Natal, as histórias que nos vão preparando só ajudam a entrar no espírito, como as bolachas de gengibre ou as músicas de Natal.

Livros de Natal para ler e reler nesta época

Aqui fica uma lista de alguns livros especificamente de Natal ou que me sabem muito bem ler e reler nesta altura.

Um Cântico de Natal (Charles Dickens)

Começamos com um clássico. O clássico dos clássicos natalícios, porventura. E uma história tão boa, que já inspirou várias outras, para além de inúmeras adaptações. É a minha história de Natal preferida. Um homem muito avarento (Scrooge, o Charles Dickens era mestre a dar nomes a personagens) é visitado pelos espíritos do Natal passado, presente e futuro e sai transformado da experiência. Vale muito a pena.

A Noite de Natal (Sophia de Mello Breyner Andresen)

Já li este livro há muitos anos e sempre me encantava a maneira como a Sophia (se é que posso tratá-la assim, que está-me a parecer esticado) descrevia o ambiente da Ceia de Natal. Não posso jurar, mas acho que foi com este conto que aprendi a palavra “Consoada”. E é só uma das várias histórias que vais encontrar por aqui em que os ricos são chamados a lembrar-se dos que têm menos que eles.

As Mulherzinhas (Louisa May-Alcott)

OK, este aqui não é um livro de Natal. Mas tem cenas que se passam no Natal. Tem o dia de Natal, tem neve. É uma história que associo ao Natal e ao Inverno. Também é uma história clássica, de certa forma mais juvenil, e em que as personagens aprendem qualquer coisa sobre a forma como vivem. Na versão cinematográfica com a Winona Ryder, elas cantavam músicas de Natal e tudo. Sabe muito bem.

Holidays on Ice (David Sedaris)

OK, face aos restantes livros que incluo nesta lista, este sai um bocado do baralho. Já te falei do David Sedaris? Não é para toda a gente e este aqui nem é o meu livro preferido dele, mas faz-me rir sempre, sempre. Se bem me lembro, conta a história do Natal em que ele era um dos elfos que está nos centros comerciais dos EUA. Tudo hilariante.

O Expresso Polar (Chris Van Allsburg)

Mais uma história em que uma criança é protagonista, mais uma adaptação blockbuster ao cinema. É a história de um rapazinho que está acordado na véspera de Natal e é convidado para entrar num comboio que vai para o Polo Norte. E ele vai. Lê!

A Vendedora de Fósforos (Hans Christian Andersen)

E nunca é demais um conto infantil sobre uma menina muito pobre deste autor de referência. Gosto muito dos contos dele. Têm uma moralidade, que não é forçada, e têm um universo que tem puxa muito pela imaginação. Bonito.

O Quebra-Nozes (Hoffman)

Este livro inspirou o Tchaikovsky, ok? É a famosa história que se tornou um ballet. É mais um conto de Natal bonito, em que os brinquedos do quarto de duas crianças ganham vida e entram em guerra: de um lado os brinquedos da irmã, do outro os do irmão. O Quebra-Nozes é um desses brinquedos e ganha protagonismo. Super giro.

O Mistério de Natal

Este livro, do autor do Mundo de Sofia, entrou para a minha lista de leituras deste ano. É um conto sobre uma espécie de viagem, ao longo dos 24 dias do mês de Dezembro que precedem o Natal. Tem a vantagem de dar para ler um capítulo por dia, até ao Natal.

Skipping Christmas (John Grisham)

Conheces o John Grisham, que habitualmente escreve thrillers sobre advogados e solicitadores e coisas do género? Pois algures no tempo deu-lhe para escrever uma comédia sobre um casal adulto que decide tentar escapar à confusão que é o Natal e fazer um cruzeiro a dois mas depois tudo corre mal e o plano vai pelos ares.

Como o Grinch Roubou o Natal (Dr. Seuss)

Nunca li este livro, mas já vi tantas referências e tantas adaptações, que é quase um clássico por ler. Conta a história de uma criatura (acho que todas nos lembramos da interpretação fantabulástica do Jim Carrey) que odeia o Natal e que é transformada.

Yes, Virginia, There Is a Santa Claus (Francis Church)

Não sei se este livro existe numa tradução portuguesa, penso que não. Mas eu estava no 5º ano quando o nosso professor de Português distribuiu umas folhas A4 escritas a Times New Roman com uma versão resumida desta história e eu decorei tudo e nunca mais a esqueci. Também há uma adaptação para cinema. Resumidamente, uma menina escreve para o jornal The Sun a perguntar se o Pai Natal existe e o editor do jornal responde-lhe, numa carta que ficou famosa.


E tu? Que livros de Natal têm marcado a tua vida?

.


Também te pode interessar:

O significado do Natal para uma católica imperfeita

Músicas de Natal: uma playlist por ordem

Também podes gostar

Deixe uma resposta

You have to agree to the comment policy.