Está na altura de mudar de emprego? 7 sinais inequívocos

altura de mudar de emprego

Chega a uma fase em que todas percebemos que não há empregos perfeitos. Mas também somos pragmáticas e sabemos que precisamos de trabalho. Então, como perceber que está na altura de mudar de emprego? Como distinguir que não se trata apenas de uma fase má?

Mesmo que o teu emprego seja a tua cara, de certeza que encontras algo que podia ser melhor. Podias ganhar mais, ou trabalhar mais perto de casa, ou ter horários melhores. Certo?

E também há fases melhores e piores. Há alturas de pico que nos deixam exaustas. Há problemas na vida pessoal que contaminam o nosso estado de espírito a todos os níveis. E há sempre tarefas que nos desmotivam.

A questão do timing na altura de mudar de emprego

Não deves mudar de emprego ao primeiro impulso. Assim do género “Estou farta disto!” e pimbas lá vai a carta de demissão. Excepto em circunstâncias muito especiais, claro. Por exemplo, se a situação se tornou insustentável e está a afectar gravemente a tua saúde. Ou se receberes uma proposta firme para o teu emprego de sonho.

Mas tirando isso, dá um tempo. Por vários motivos. Sendo muito pragmática, andares a saltitar de empregos com frequência não fica bem no currículo. Os empregadores podem interpretar como falta de compromisso. A maior parte dos recrutadores recomenda indicativamente que fiques pelo menos dois anos antes de mudar de emprego.

E mesmo para ti, como vais ver de seguida, é fundamental que distingas uma situação passageira de razões que persistem. É melhor mudar com essa confiança de que não foi por precipitação tua.

7 sinais inequívocos de que está na altura de mudar de emprego

Na verdade, há alguns sinais que não podes ignorar. O que estamos a falar aqui não é sair de uma reunião desmotivada. Ou de não ter sido promovida. Ou de estares cansada. Isso até pode fazer parte da razão. Mas os sinais que te apresento aqui persistem e revelam que tens mesmo razões profundas e estruturais para mudar de emprego. Não é um amuo ou um estado de espírito passageiro.

Aqui seguem os sinais de que está na altura de mudar de emprego que não podes ignorar.

Não te lembras da última vez que aprendeste alguma coisa no trabalho

Não estás a aprender, não estás a crescer. Já sabes tudo o que há para saber. Não desenvolveste nenhuma capacidade nos últimos tempos. E aprender não significa apenas ter formações e cursos. Pode passar por desempenhar uma nova função ou tarefa. Por exemplo, supervisionar o trabalho de outra pessoa ou coordenar uma nova iniciativa da empresa.

Só associas o teu emprego actual a sentimentos negativos

Chega o Domingo à noite e é uma tortura. Aliás, o Domingo à tarde já fica estragado por causa disso. Os últimos dias de férias também levam com esta contaminação. Se tens alguma colega de trabalho com quem te dás bem, as conversas com ela acabam invariavelmente a queixares-te do trabalho. Não dás nem mais um pingo ao teu trabalho do que o mínimo necessário e mesmo isso já te parece muito. Ressentes o teu emprego, como se te estivessem todos a dever alguma coisa.

Não queres o emprego do teu chefe

Esta parece óbvia, não é? Mas, na verdade, às vezes esquecemo-nos de pensar por este ângulo. Ficar num emprego significa também que aceitas o futuro desse emprego. Se não querias estar no lugar do teu chefe, que sentido faz permaneceres no teu emprego actual no longo prazo? Que incentivo é que vais ter para fazer um bom trabalho? O que é que isso diz sobre a tua motivação e interesse? Tal como dizia o Homem Aranha, subir na hierarquia, também envolve mais “poder” e mais responsabilidades. Escolhe as responsabilidade que queres.

A tua saúde está a ser afectada

Burnout é um termo moderno que uns exageram e outros desvalorizam. Seja qual for o nome que lhe queres dar, muitas mulheres andam por aí com um desgaste psicológico real e com consequências graves. É um desgaste que pode ser causado por excesso de trabalho, mas também pode ser apenas um cansaço psicológico.

E não é só o burnout. Alguns sintomas para os quais deves estar atenta: estás sempre cansada, estás ansiosa, tens dores de cabeça recorrentes, dores de barriga ou problemas de digestão. Não te sentes bem.

Trabalhas numa cultura tóxica

Está na moda esta expressão também. Mas é outro caso de “chama-lhe o que quiseres, lá que existe, existe”. Trabalhar num ambiente tóxico é destrutivo para a tua auto-confiança e bem-estar básico. Como saber que trabalhas numa cultura tóxica ou com pessoas tóxicas? É daquelas coisas que se percebe, até mais do que se explica. Mas se te ficas a sentir mal, se sentes que tudo o que dizes pode ser usado contra ti, se há uma cultura do erro e não há incentivos para o crescimento, isso são red flags.

És invisível

Ou não és valorizada. Basicamente, tomam-te por garantida. Ninguém está à espera que sejas promovida nem que saias da empresa. És quase indiferente, excepto o facto de efectivamente trabalhares. O teu contributo não é tido em conta ou não ficas com o crédito pelo que fizeste. Não querem saber a tua opinião sincera do que pode ser melhorado.

Sentes que é altura de mudar de emprego

Isto pode soar muito chá-lá-lá. Mas não desvalorizes os teus instintos. Os instintos são basicamente essas coisas que sentimos e que por vezes até incomodam. Somos influenciadas a ser certinhas, as mulheres mais do que os homens

Este livro da Brené Brown é uma óptima leitura para quem está a pensar na vida, carreira e não só. Há decisões na nossa vida que exigem um certo atrevimento. E esse atrevimento, se vier do mais verdadeiro em nós, é muito válido e devemos dar-lhe espaço. Recomendo.


E tu? Já passaste por alguma decisão de mudança de emprego? O que te fez ter a convicção de que estava na altura de mudar?


.


Também te pode interessar:

Como escolher a carreira ideal? Olha para a infância

7 livros essenciais para mulheres que trabalham

Também podes gostar

2 comments

Deixe uma resposta

You have to agree to the comment policy.