Essencialismo, Greg McKeown: fazer menos mas melhor

Essencialismo Greg McKeown

Também andas sempre ocupada, e nem sempre produtiva? Costumas sentir-te super cansada mas subaproveitada? Estás esticada para todos os lados? É isso que o livro Essencialismo (Greg McKeown) propõe resolver.

Eu passo por muitas fases nesse estado frenético. Tantas, que já cheguei a pensar que fazia parte de ser adulta. As mulheres que conheço andam sempre a correr de um lado para o outro, divididas entre mil tarefas todas as semanas, algumas quase invisíveis. Às vezes, parece que não temos alternativa.

Mas e se não tivesse de ser assim? Como dizem no Shark Tank, “tem de haver uma maneira melhor”. Neste caso, uma maneira melhor de viver. E se conseguissemos fazer menos coisas, mas com um contributo maior? E se menos fosse realmente mais?

The way of the Essentialist is the relentless pursuit of less but better.

Essencialismo, Greg McKeown: um livro para os tempos modernos

Às vezes, sabe-me bem ler livros cheios de bom senso. Não é que me tragam descobertas inimagináveis. Quando me ponho a reflectir sobre o que aprendi, muitas vezes, nem é nada que eu não soubesse ou intuísse. Só que eu esqueço-me. E como me esqueço, é bom de vez em quando relembrar-me. E reflectir com a perspectiva que vou tendo, que também muda.

Em vez de tentar encaixar tudo, por que não deixar cair algumas coisas, aquelas que não são tão importantes? De toda a tua vida, de todos os minutos do teu dia, que partes foram realmente escolhidas por ti?

(…) only once you give yourself permission to stop trying to do it all (…) can you make your highest contribution towards the things that really matter.

Imagina que a tua vida é o teu armário. O que é que acontece ao teu armário se nunca o organizas? Fica impecável, arrumado e só com os poucos conjuntos que adoras usar à vista? Pois é. Agora imagina um armário no qual aparecem coisas que outras pessoas vão atirando para lá. Cada vez que abres a porta, há mais tralha que não pára de chegar. Pois é.

A não ser que faças um esforço consciente, é fácil que o teu armário vá acumulando tralha de que nem gostas assim tanto. O que precisas é de um sistema, para te ajudar a tomar as decisões importantes da forma mais eficiente, para manter o teu armário focado no que valorizas.

O Paradoxo do Sucesso e o cansaço das decisões

Adoro paradoxos. São uma espécie de choque de ideias que forma uma ideia maior. Aqui fala-se do paradoxo do sucesso, que se vê quase todos os dias no mundo do trabalho.

Imaginemos uma mulher que conhece o seu propósito profissional. Tem sucesso. As pessoas passam a dirigir-se a ela com opções e oportunidades, que não são mais do que exigências do tempo e da energia dessa mulher. Cada vez fica mais dispersa, mais espalhada. Até que, por causa do seu sucesso, perde o foco do seu propósito e deixa de contribuir ao mais alto nível. Ou seja, o sucesso pode ser uma distracção.

Quem nunca sentiu ou viu acontecer à sua frente que o “prémio” por um bom desempenho sejam responsabilidades ou carga acrescida?

Outro efeito curioso é que quanto mais escolhas temos de fazer, pior a qualidade das nossas decisões. Os psicólogos chamam a isto “decision fatigue”. E a quantidade de opções com que somos bombardeados como consumidores privilegiados aliadas à ideia perigosa de que “podemos ser o que quisermos” só acentua isto.

What if we stopped being oversold the value of having more and being undersold the value of having less?

A importância das escolhas (e dos trade-offs)

Quantas vezes já deste por ti a teimar “eu posso fazer ambos”? Não vale a pena perguntar como é que podes ter tudo. Essa pergunta só te vai levar ao desgaste. Pergunta antes “que problema é que eu quero?”

Há também aqui uma oportunidade para fazer crescer a nossa forma de pensar. Em vez de matutares “De que é que quero abdicar?”, posiciona a ideia como “Em que é que quero apostar?”. Faz toda a diferença.

Como implementar o Essencialismo na tua vida

1. Explorar e avaliar (aka, fazer perguntas corajosas)

Em vez de olhares para uma peça do teu armário e perguntares “Qual a probabilidade de vir a usar esta saia no futuro?”, experimenta perguntas mais difíceis, tais como: “Adoro esta saia?”, “Esta saia fica-me perfeita?”, “Uso esta saia com frequência?”

O equivalente para a tua vida é perguntar “Será que esta actividade/esforço tem o maior contributo possível para o meu objectivo?”

If you don’t prioritise your life, someone else will.

O que o livro Essencialismo (Greg McKeown) faz muito bem é explicar como podes ficar cada vez mais perita em fazer estas avaliações:

To discern the truly essential we need space to think, time to look and listen, permission to play, wisdom to sleep, and the discipline to apply highly selective criteria to the choices we make.

2. Eliminar (aka, dizer não)

Não, não podes ter 10 prioridades. E não, não podes manter tudo como está e ainda arranjar um espacinho para o que queres adicionar. Tens mesmo de cortar.

(…) it’s not enough to simply determine which activities make the highest possible contribution; you still have to actively eliminate those that do not.

3. Executar (aka, facilita a tua vida)

Quando já sabes o que é queres e não queres, aquilo de que precisas é de um sistema. E sistema é uma forma sofisticada para dizer que precisas de algo que te ajude a fazer o que decidiste fazer. Ou seja, uma forma de eliminar obstáculos e tornar a execução tão fácil quanto possível.

Imagina que o teu objectivo é melhorar a tua alimentação. Se só tiveres más opções na tua cozinha, o que achas que vai acontecer? E mesmo que consigas, digamos, “resistir”, é abusar da tua força de vontade. Quanto mais fácil for executar a tua decisão, melhor. E isso justifica um bom investimento a planear e a montar o tal sistema. Incluindo criar rotinas.

Research has shown that of all forms of human motivation the most effective one is progress.

Tudo o que facilite o teu caminho.

In many ways, to live as an Essentialist in our too-many-things-all-the-time society is an act of quiet revolution.

As minhas revoluções preferidas.


E tu? Já leste o Essencialismo (Greg McKeown)?


Também te pode interessar:

Gestão da atenção vs gestão do tempo: o truque

O que é procrastinar e como podes procrastinar menos

Também podes gostar

1 comment

  1. Francisca.
    Li e reli todo o texto de conteúdo muito rico em reflexões/ensinamentos.
    A propósito, refiro:
    “Façamos da esperança o melhor alimento e da vontade a maior força”

Deixe uma resposta

You have to agree to the comment policy.