7 desejos de ano novo que não tenho para o novo ano

desejos de ano novo

Todos os anos, costumo passar a semana entre o Natal e a passagem de ano em reflexões e balanços. Penso nos objectivos e planos que tinha, no que correu bem, no que correu pior, no inesperado, no incrível. E depois, naturalmente, começo a reflectir sobre os meus desejos de ano novo, para o ano que se inicia (por exemplo, ler mais romances, tais como este aqui que vai ser um dos primeiros do ano).

Desejos de ano novo

Também por esta altura, há muito barulho nas redes sociais a propósito de objectivos e resoluções. Às vezes, uma pessoa lê coisas que até são inspiradoras. Outras vezes, é quase frustrante a repetição inane de clichés, alguns dos quais nem sequer inspiradores ou, pior, prejudiciais à nossa saúde mental.

Por isso este ano, para além da minha lista de resoluções de ano novo (que ainda está a ser apurada), revisito também uma lista de desejos que não tenho para o novo ano. Nada contra estes sete itens da minha lista, talvez sejam objectivos perfeitos para outra mulher este ano. Mas não para mim.

É um lembrete para mim própria, pode ser que ajude mais alguém! O que te posso dizer sobre este processo é que altamente libertador fazer uma lista que exclui prioridades e intenções. A nossa energia é preciosa e muito mais bem aplicada ao serviço do que realmente nos interessa. Por que não fazer um detox de intenções que não nos pertencem?

Desejos de ano novo: uma lista na negativa

Aqui fica a minha lista de desejos para o novo ano, mas ao contrário! Nenhum dos seguintes itens está nas minhas prioridades para o próximo ano.

1. Qualquer forma de exercício que inclua a palavra “insanity”

Não quero, não preciso, não, não, obrigada. Sinceramente, nem que me pagassem, nesta fase da vida. Insanidade, a sério? Para quê? Não basta já o resto da nossa vida toda? Sem dúvida que quero e preciso de me mexer mais em no novo ano. Mas sem insanidade, por favor. Há muita coisa que posso fazer bastante, digamos, sana.

2. Construir um império

É uma linguagem que se lê muito hoje em dia, dirigida às “hashtag boss babes” que navegam por aí na Internet. Por exemplo, “não tenho tempo para namorar porque estou demasiado ocupada a construir um império”, etc. O que é um império ao certo? Ninguém sabe, mas parece que começa com alguns euros ganhos hustling. Só que nem todas queremos dedicar todos os minutos do dia a isso. Nem toda a gente tem o sonho de criar um negócio e, mesmo para as que têm, isso pode não passar por um império. Mesmo quando a intenção não é má, é uma linguagem (e um espírito) meio individualista, meio materialista, de que desconfio.

3. Barriga tanquinho

Nem sei bem se é assim que se escreve. Um six-pack, sabem? Aqueles quadradinhos tipo tablete de chocolate desenhados na barriga de quem não come tabletes de chocolate. Mas em feminino. Este objectivo não está nem nunca esteve em nenhuma das minhas listas. Se isto não se abanasse tudo eu já ficava muito satisfeita, era uma vitória. Digamos que entre os quadrados de chocolate e a gelatina é onde eu quero estar. Good enough. E tudo bem para quem quer, lá está, é só bom saber que não é para isso que estou a caminhar.

4. Netflix and chill

Alguém me disse recentemente que a Netflix considera que o seu maior concorrente é o sono. Isso mesmo. E não me surpreende. Certamente comigo é assim. E se não é o sono que sacrifico, aqueles 45 minutos finais à noite antes de os olhos começarem a arder ou a fechar-se, então é outra coisa qualquer também importante, outros projectos. Tudo tem um custo de oportunidade e a vida é demasiado curta para só paparmos séries. Até porque nem sempre essa inactividade mental é o que nos relaxa mais. Para mim, uma de vez em quando, chega.

5. Inbox zero

Sabem? Ter a caixa de email toda limpinha, a zeros, sem nenhum email por abrir, tudo em pastas devidamente identificadas ou já no lixo. Isso exige um grande esforço, um esforço infinito. E, como li recentemente, é uma forma de privilegiar o curto prazo em vez do longo prazo. Se eu passar meia hora que seja do meu dia a organizar emails, é tempo que não dedico a algo que seja verdadeiramente importante para mim. E também não é propriamente uma tarefa criativa. Organização q.b. para mim este ano, por favor.

6. Banhos de imersão

Eu sei e eu tentei. Mas banhos de imersão não me relaxam. É uma coisa que fica bem nos filmes. Elas às vezes até levam um copo de vinho ou um livro para a banheira. Mas, na vida real, pelo menos para mim, é uma mistura de resvés ter uma quebra de tensão por causa do calor com um desconsolo qualquer, estar ali de molho, tipo sensação de Domingo à noite. Nunca sinto a tensão a evaporar-se, nem me sinto nenhum tipo de deusa sensual. Isto para não falar de que não tenho assim tantos momentos para, mesmo que me apetecesse, me enfiar numa banheira de molho. Faz-me sempre lembrar do Chandler.

You just sit in there, stewing in your own filth.

Chandler Bing (Friends)

7. Ser uma super-heroína

Uma profissional ambiciosa, uma mulher dedicada, uma mãe dotada, uma dona de casa “prendada” (palavra que eu abomino), uma perita em auto-cuidado, uma amiga super presente, uma arrumadinha, que não dispensa o exercício físico, sempre com os botões todos pregados, que não falha, que chega a todo o lado, uma lady na mesa como canta o outro… Não existe. Não vale a pena. Sejamos realistas, para nosso bem e de todos à nossa volta! Eu pelo menos espero sê-lo este ano. Não vou vangloriar as supostas “super mulheres”.


E tu? Que desejos de ano novo não tens? Algo em particular que vejas divulgado e não te interesse? Partilha!

Desejo-te um óptimo ano novo!


Também te pode interessar:

Negative bucket list: 25 coisas que (já) não quero fazer

Desenvolvimento pessoal: 50 ideias para te inspirar

Pequenos prazeres da vida: como prestar mais atenção

Também podes gostar

7 comments

  1. Francisca.

    Escolha acertada para início desta tarde. Ri devagarinho. sorri e em silêncio, pensei:
    Que lista inversa do habitual, a Francisca conseguiu elaborar, sobre um tema que deixa o leitor na espectativa! Só uma mente com determinada capacidade criativa o conseguiu; a Francisca!
    Obrigada Francisca, pela ocupação agradável que me proporcionou.

  2. Francisca.

    Escolha acertada para início desta tarde. Ri devagarinho. sorri e em silêncio, pensei:
    Que lista inversa do habitual, a Francisca conseguiu elaborar, sobre um tema que deixa o leitor na espectativa! Só uma mente com determinada capacidade criativa o conseguiu; a Francisca!
    Obrigada Francisca, pela ocupação agradável que me proporcionou.

Leave a Reply

You have to agree to the comment policy.